• Unidade Teixeira Soares: (54) 3316-4000
  • Unidade Uruguai: (54) 3045-2000

Projeto Pílula do Amor promove troca de mensagens de carinho e amor

  • 06/07/2021

O amor é como uma semente, quando se planta, rega e cuida, se transforma em algo muito maior, bonito e cheio de vida. Assim foi com o projeto Pílula do Amor: o poder de fazer o bem do Serviço de Hemoterapia do Hospital São Vicente de Paulo (HSVP), de Passo Fundo. O projeto surgiu dos projetos Pílula da Vida, lançado em 2011, que tinha o objetivo de levar a troca de mensagens de doadores para pacientes e vice-versa, e o Pílula do Bem, que promovia a troca de mensagens de doadores antigos aos novos doadores do Serviço. 

O Pílula do Amor foi criado há alguns anos por colaboradoras da Hemoterapia e com a pandemia, foi reativado. "Foi criado um grupo dentro do Serviço chamado Grupo da Espiritualidade, o intuito era reunir algumas pessoas para levar motivação ao grupo como um todo. Uma das atividades realizadas pelo Grupo foi a reativação do Pílula do Amor, para que além de motivadas, as pessoas se sentissem valorizadas e amadas", conta a enfermeira da Hemoterapia, Eliane Bianchini.

Para Eliane e para a, também enfermeira do Serviço, Janete Jaqueline Winckler, a principal mensagem que o Pílula do Amor promove é de que "se hoje estou bem, posso doar um pouco de amor e quando eu não estiver, alguém que esteja melhor possa me doar um pouco desse amor, dessa empatia", explicam.

Antes de ser lançado pela Hemoterapia, no último 14 de junho, Dia Internacional do Doador de Sangue, as atividades dentro do projeto eram realizadas entre os colaboradores da Hemoterapia. Segundo as enfermeiras, principalmente "em um momento onde se vive uma pandemia, surgem os medos, a insegurança, e por meio de um gesto, uma frase, um doce, um bom dia, um coração no armário de uma pessoa que está chegando para trabalhar, faz muita diferença".

Seja em um data especial ou não, o Grupo da Espiritualidade fez inúmeras atividades, com mensagens de carinho e amor, fornecendo apoio, compreensão e alegrando o dia a dia de quem trabalha na Hemoterapia. "Acreditamos que um dos motivos de estarmos aqui, é para ajudar as pessoas, e ao motivá-las, nos sentimos motivadas também, porque a vida está acontecendo e a gente pode fazer a diferença", relatam as profissionais. 

O Projeto Pílula do Amor nada mais faz do que plantar uma semente, porque, afinal, doar sangue também é plantar e cultivar uma semente. Uma semente que correrá nas veias de outras pessoas, e por mais que essa semente não possa ser vista, ela deixará marcada em cada batida do coração, o sopro da vida.

Fotos: Hemoterapia/Divulgação