• (54) 3316-4000 | 2103-4000
  • sac@hsvp.com.br

18 de outubro: Dia de agradecer e parabenizar os médicos

  • 17/10/2020

Saúde é essencial e neste 2020 percebemos sim, ela precisa estar em primeiro lugar. Os médicos são os profissionais que tem a nobre missão, de junto com uma equipe multiprofissional, zelar pela saúde. É responsabilidade deles, de diariamente, ter nas mãos a vida de um ser humano. No Hospital São Vicente de Paulo (HSVP) de Passo Fundo, 800 médicos fazem parte do corpo clínico, nas mais diferentes especialidades e diariamente cuidam do ser humano desde antes do nascimento até a melhor idade, buscando sempre amenizar dores, salvar vidas ou oferecer conforto a quem precisa.

“Anjos, heróis, guardiões da vida”, muitas são as expressões que os pacientes usam para definir os profissionais médicos e sua importância. Neste ano difícil em que enfrentamos a Covid-19, em cada alta de paciente ou mesmo no depoimento de familiares que perderam seus entes queridos, a gratidão, a emoção ao falar dos médicos está presente. Eles que, tiveram que mudar suas rotinas, seguir novos protocolos e inclusive passar a conversar com os familiares pelo telefone.

O Diretor Técnico Médico do HSVP Dr. Adroaldo Mallmann e a Vice-diretora Técnica Médica Cristine Pilatti, destacam o empenho e esforço dos profissionais, desde as primeiras informações e casos da pandemia, em organizar protocolos, montar estrutura e se disponibilizar para o atendimento. “Os médicos que atuam no HSVP se disponibilizaram e enfrentaram a pandemia, sempre pensando no melhor para os pacientes. Os que não tiveram como atuar diretamente na pandemia, foram também em busca de conhecimento, para de alguma forma contribuir com a saúde dos pacientes”, enaltecem.

O presidente do Hospital São Vicente, José Miguel Rodrigues da Silva, agradece os médicos e os parabeniza pelo seu dia, em nome de toda a instituição. “A função do médico é nobre! Somos muito gratos pelo trabalho que eles desenvolvem na instituição, sempre em busca do melhor pelas pessoas que vem até o hospital para amenizar seu sofrimento. Que Deus sempre os proteja com saúde e força, para seguirem nessa jornada do cuidado”.

Em busca de mais conhecimento para enfrentar o amanhã

Mesmo com muitos eventos científicos cancelados, os médicos continuaram em busca de aprendizado e inovações. Participaram de palestras, cursos online e também ministraram aulas para outros profissionais do país. No HSVP, projetos de melhorias como em áreas da Emergência foram iniciados e ainda, no atendimento aos pacientes da Covid-19, como o Projeto Conectando Vidas. “Iniciamos a implantação do projeto Lean nas Emergências, do Hospital Sírio Libanês, mesmo com a pandemia, pois sabemos que precisamos sair ainda mais preparados disto tudo. Os médicos toparam o desafio e abraçaram a causa”, evidencia Dra Cristine, pontuando ainda, que os médicos seguem buscando e fazendo o melhor, para que o futuro seja com mais saúde. “Agradecemos aos profissionais que atuaram na linha de frente da pandemia e também a todos os profissionais que seguiram cuidando de todas as outras enfermidades”. 

Homenagem da Direção Clínica 

Os médicos Dra Jussara Gomez e Dr Luiz Henrique Penteado da Silva diretores Clínicos do HSVP, também deixaram sua mensagem e homenagens aos colegas. “Quando escolhemos ser médicos, escolhemos um modo de vida diferente: aquele que não nos dá tempo de comer, que nos rouba tempo junto à família, que nos tira o sono quando temos um caso difícil, diferente ou raro, que nos faz sorrir quando atingimos a recuperação plena de um indivíduo, mas que também, nos deixa tristes quando apesar dos nossos esforços, a doença nos abate e nos rouba mais uma vida. Um modo de vida que transcende os limites usuais de um relacionamento, pois dispostos a acolher o nosso paciente, nos despimos de preconceitos para, olhos nos olhos, ouvir queixas, examinar da cabeça aos pés e entender aquele ser que está à nossa frente e nos pede ajuda. E essa nossa atitude não tem hora, dia da semana, feriado, cor, raça, credo, sexo, estilo de vida …. E o fazemos durante os 365 dias do ano. Sem piscar, sem achar difícil, sem achar impossível, sempre. Afinal, ser médico é uma paixão sem remédio. A todos aqueles que transformam a sua vida na arte de devolver à vida as funções de um indivíduo, um forte abraço. Nesse e nos outros 364 dias do ano”.