• (54) 3316-4000 | 2103-4000
  • sac@hsvp.com.br

Centro Oncológico Infantojuvenil: Dois pacientes tocam o Sino da Vida

  • 26/03/2021

Nesse momento difícil que estamos vivendo, a luz no fim do túnel parece distante. Mas, momentos de esperança surgem em meio à obscuridade para nos mostrar que é preciso seguir firme e não desistir. O exemplo vem dos pequenos, dos jovens, que muito cedo enfrentam a batalha árdua que é o câncer. Nesta quinta-feira, 25 de março, ao tocar o “Sino da Vida”, João Lucas da Cunha 18 anos, de Serafina Correa e Juliano dos Santos Dominski, 14 anos, de Planalto, anunciavam o fim do seu tratamento contra o câncer, o som e palmas, ecoaram pelo Hospital São Vicente de Paulo (HSVP) de Passo Fundo, mostrando, que sempre há esperança e que é possível vencer.

O Sino da Vida é um projeto desenvolvido pelo Núcleo de Cuidados Integrativos (NCI) em conjunto com os profissionais do Centro Oncológico Infantojuvenil e tem o objetivo de humanizar e celebrar a conclusão de um dos ciclos do tratamento oncológico. Além disso, o Sino da Vida desperta esperança e entusiasmo nos pacientes que ainda estão em tratamento. João estava ansioso pelo momento, após dois anos tratando uma Leucemia, passando por internações, dificuldades e achando muitas vezes que o dia não chegaria, ele celebrou o momento de felicidade e agradeceu os profissionais. “Comecei a sentir um cansaço, coração acelerado, fraqueza e foi então que procuramos o médico. Fiz o exame de sangue e logo já me encaminharam para Passo Fundo. Demorou um pouco até cair a ficha de que era grave e como seria o tratamento. Foram dias de internação, quimioterapia, mas, no meu caso, o pior foi a depressão, que me abateu bastante”, relata o jovem. “Agradeço a todos os profissionais e ao suporte emocional, físico, em tudo, porque eles foram fundamentais, sempre estavam ali para me amparar, ajudar a minha família”.

Jugeni Julia da Cunha, mãe de João, também agradeceu muito os profissionais e celebrou a vitória do filho. “Muitas vezes ele dizia, “ mãe não vou melhorar” e eu dizia, filho, acredite, vai sim, para Deus nada é impossível, e hoje, graças a Ele e toda equipe, podemos viver essa alegria”.

 João também lembra das amizades que fez ao longo do tratamento. “O Alisson me ajudou muito, foi um grande amigo, que lutou, foi guerreiro mas infelizmente não venceu a batalha contra o Câncer. Vou bater o sino também em homenagem a ele, que sempre estava com um sorriso no rosto”, comenta.

Assim como João, Juliano e seu pai, Adão Dominski, estavam muito felizes. Juliano tratou por dois anos, um Osteossarcoma e as equipes dos Postos de Internação fizeram questão de passar para parabenizá-lo pela etapa vencida. “Muito obrigado a todos que trabalham aqui que sempre nos ajudaram muito”, enalteceu o pai.

 

Você pode ajudar mais crianças a tocarem o sino

Desde outubro de 2020, o Hospital São Vicente de Paulo e o Instituto do Câncer Infantil (ICI), de Porto Alegre, realizam a campanha “Leão da Coragem e o Planeta Cura”, que visa arrecadar recursos para a implantação de 15 leitos de internação para crianças e adolescentes com câncer. A ala exclusiva para o atendimento dos pacientes é fundamental para proporcionar mais conforto e ludicidade, além de equipamentos e infraestrutura adequada, com profissionais especializados na área, atuando no atendimento às crianças e adolescentes em tratamento, que geram melhores resultados no tratamento.

A captação das doações está sendo feita por meio da Central de Doações do ICI, que está entrando em contato com a comunidade e empresas da região de Passo Fundo. No entanto, quem quiser fazer uma doação, pode entrar em contato pelo fone (51) 99230-9593. Caso você queira saber mais sobre o trabalho, projeto, é possível visitar o Espaço Planeta Cura, localizado na rua XV de Novembro, 415, térreo, de segunda a sexta, das 8h às 12h e das 13h30 às 17h30, sem necessidade de agendamento prévio (apenas para grupos de empresas que queiram visitar a instituição ou fazer doações maiores). Mais informações em (54) 2103 4132.

João reforça a importância desse espaço específico para quem está em tratamento. “Quando você está no quarto com alguém da sua idade pode trocar ideias, dividir as angústias e se apoiar, além de que, se espaço tem opções de entretenimento ajuda a passar o dia, já que as vezes as internações são bem longas”, ressalta.